Pin It button on image hover

Uma breve explicação...



No ultimo post tentei explicar o que ocorreu comigo há 10 meses atrás, e sim abandonei o blog, eu merecia este tempo depois de tudo que me ocorreu, mas não vou concluir o resumo do acontecido, pretendo mais a frente fazer um vídeo, essas coisas são fortes demais para apenas serem digitadas, para que compreendam melhor é preciso que me olhem nos olhos, nem que seja por uma tela.

Porém hoje agradeço aos céus por ter passado por tudo isto, me arregaçou os olhos para a vida, e como eu estava levando ela, aprendi coisas extraordinárias sobre mim mesma, hoje posso afirmar que me conheço melhor que ninguém, e que tenho usado de resiliência sem reservas, gente a vida é tão tão curta... E a cada dia me apaixono mais por ela, aprendi a amar cada pequeno detalhe, e a não esperar um tempo certo para ser feliz [quando isso ou aquilo acontecer] sou feliz no agora, assim, às 20:45 de uma quinta chuvosa e fria, qual fiquei lavando roupa até 30 minutos atrás e TUDO BEM!

VIDA REAL. Estou desempregada há 1 ano e 2 meses, o sonho do próprio negócio anda meio devagar, mas tá tudo bem... Não me preocupo mais com os erros de antes, nem o que há de vir, tenho focado em estar presente para mim, por mim, e para quem me ama verdadeiramente. Este tem sido um dos melhores remédios! E é o que eu desejo para vocês; PAZ.

Gente eu quase morri mas tô aqui PARTE 1


Só consigo pensar nisto quando lembro dos últimos 3 meses que passei, não sabia eu que dois meses após escrever este post, eu iria experimentar um pouquinho do inferno. Senhoras e senhores meu lindo organismo acordou num belo dia e decidiu sofrer de Transtorno de Ansiedade Generalizada, ou como nós sofredores da mesma, chamamos carinhosamente de TAG, e o que é pior demorei 2 meses para ser diagnosticada, então pensa na loucura que foi.

Cada dia um sintoma pior que o outro, entre dores corporais, falta de ar, sintomas depressivos, medo de gente, medo de ficar sozinha, eu encrencava até com as minhas veias das mãos, pensando que iam estourar a qualquer momento, exame de sangue, do coração, de mais uma porrada de coisas e NADA, nas crises a sensação era de um enfarto misturado com um AVC, era uma coisa muito, mas muito louca, noites sem dormir, efeitos colaterais dos remédios, sinceramente, não sabia o que era doença e o que era efeito colateral,

Foi um inferno, o meu corpo se preparava para morrer toda vez que eu tinha uma crise, eu experimentava o que é estar nas ultimas, sem estar nas ultimas, e isto não é como uma gripinha que dá do dia pra noite e some do dia pra noite com alguns remedinhos, eu tinha esta bomba dentro de mim por quase a vida toda, e ela deixou para explodir na época mais bacana da minha vida, onde eu pensei "legal Deus, as coisas estão se encaixando finalmente" e BUUUUUUUUUUUUUM! ! ! ! ! !  

Vi minha vida profissional recem criada deixada para trás, pois não tinha cabeça para nada, para ver ninguém, tinha fobia até do celular, queria sair gritando pedindo socorro, os primeiros 20 dias foram bem debilatados, eu ficava no quarto e graças a Deus meu esposo fez tudo por mim, e estava de férias. [contiua]

Precisamos falar sobre ansiedade



A maioria das pessoas na hora de dormir, apenas se deitam e fecham os olhos, enquanto o corpo vai relaxando devagar, já uma pessoa ansiosa, ao deitar-se, é coberta por uma enxurrada de pensamentos, de preocupações pelo que virá, pelo que nunca virá e pelo que já se foi, a vontade de mudar os fatos é onipresente, músculos ainda rígidos, a madrugada não espera, e mais uma noite de insônia acontece.

As pessoas nos cobram constantemente "calma", "não pense nisto agora", e a cada sugestão impossível, sofremos mais um pouquinho, ao nos darmos conta de que jamais atenderemos essas expectativas, dói muito não conseguir "desligar", e tudo que queremos é apenas silêncio diante de nossas lamentações, ou até mesmo que você cuidadosamente, embarque nelas conosco, digo cuidadosamente, pois basta apenas uma frase, para desencadear noites a fio a tentar entendê-la ou refazê-la, evitá-la. 

Ansiosos, nada mais são, do que pessoas que sentem muito, o tempo todo, por tudo, que precedem a dor bem antes de seu impacto, numa proporção bem maior do que deveria ser, muito mais do que curas milagrosas e novos tipos de rotinas, queremos amor, e passarmos despercebido por julgamentos, sermos acolhidos por sua aceitação.

Gente eu não morri

Estou vivinha e fazendo contato! É que a vida deu seus giros de 360, e houve alguns tombos também, e é claro o grande e enorme bloqueio, talvez desconforto de escrever, acredite, antes de dormir me vêm na mente livros inteiros, e diversos textos e ideias, mas aí o Will Smith aparece de madrugada e apaga a minha memória:

Amanhece e é só um cansaço como se eu não tivesse dormido a noite toda, e zero ideias e vontade de escrever, foi assim por muito muito tempo, em parte porque estava saindo de um emprego de anos, e porque a saída foi feito  trecho daquela música da Pitty "você está saindo da minha vida, e parece que vai demorar, se não souber voltar ao menos mande notícias cê acha que eu sou louca mas tudo vai se encaixar" e poxa encaixou mesmo, há 2 meses consegui finalmente sair, e me dedicar ao lar doce lar e ao ateliê of course.

E há apenas uma certeza agora: tudo é imprevisível! Assim bem clichê, bem "só sei que nada sei" a responsabilidade é muito maior quando se é o próprio "patrão" mas nada se compara trabalhar diretamente com o que se ama, e ter um tempo privilegiado para cuidar da minha pequena família de dois, mesmo com essa crise horrenda, o segredo e não entrar em pânico, e usar sempre a cabeça, resolver sempre tudo junto, que uma hora a gente acha o pote de ouro! Ou quase isso.

Outra coisa que tenho amado no momento é fazer coisas para a casa, reforminha nos móveis e aquisições novas para ir moldando o nosso ninhozinho, e tá a cada dia mais a nossa cara, este mês completamos o nosso primeiro ano de casados, e muita coisa passamos e em muito mudamos, com sempre com a sensação de que tudo tivesse acontecido ontem mesmo, a festa, os sorrisos, a família reunida, os perrengues, os diys, os "e se..." que hoje são certezas vivas! Só tenho um sentimento: gratidão, por ter vivido até aqui, me sinto quitada com a vida, sem dever nada a ela, apenas flutuando nesse sonho bom !

PS Prometo aparecer mais vezes.
PS ² Prometo post com as aquisições e artes da casinha!


Nunca mais largo a pista



Hoje pela manhã, acordei antes do despertador como de costume, fui ao banheiro e retornei à cama para dormir mais meia hora, antes do dia oficialmente começar, mas como ocorre vez ou outra, uma enxurrada de pensamentos me veio a mente, o que me impediu de pegar no sono novamente, um pensamento constante que me rodeava e de como eu era fraca e deixava o meu corpo me dominar, sempre sucumbia a vontade de dormir mais um pouco, ou de não sair de casa só para não ter o trabalho de me deslocar, de me relacionar com outras pessoas.

Do quanto estava deixando esta escuridão me envolver, do quanto me sentia fracassada com os meus objetivos, que pareciam inalcançáveis. Dei um salto da cama, e fui correndo ao esquecido e empoeirado par de tênis no canto da varanda. Duas, três batidas, e já estava novo, arrumei-me rapidamente, como se dependesse da minha vida pular para fora daquele conforto todo e esticar as pernas na pista de caminhada.

E assim fiz, não me lembrava a ultima vez que havia dedicado alguns minutos do dia caminhando, enchendo os pulmões com aquele delicioso ar matutino; a  cada passo fui sentindo o quanto valia a pena ter saído da caverna, da minha zona de conforto.

 Depois veio o sentimento de gratidão.

Me sentia grata por morar tão perto da pista, e numa cidade pequena e tranquila, por ter tantas árvores durante o trajeto, e pela maioria delas estar tão florida, deixei que o verde me invadisse embalado pelas músicas no fone de ouvido.

Foi como a melhor das injeções de ânimo.

Sentia que a cada passada eu estava travando e vencendo uma luta por mim mesma, ao sair do comodismo, ao movimentar meu corpo doente de estar tão imobilizado e sedentário, sabia que estava me dando a oportunidade de viver melhor, aí elas vieram, as ideias, os planos os sonhos, eu sei que a vida é como esta pista, e que andando eu vou chegar lá, e que se eu olhar somente para os lados, vou acabar tropeçando.

Agora sei, que preciso ir em frente, de cabeça erguida, prestando atenção no horizonte dos meus sonhos, nunca mais paro de andar, nunca mais largo a pista.

Insta da semana #3

Finalmente achei a suculenta que eu queria, custou só 12 dilmas, aqui chamam ela de dente de leão ou de anjo, teve também gordice com o marido, conclusão de mais um bolo falso tema princesa que amei fazer! Detalhes do meu primeiro buquê de fita! E adivinha quem gosta de tirar selfie assim que acorda? ME.


Fim de semana teve ida na antiga Itueta (hoje virou represa) e os moradores foram deslocadas para a nova Itueta não muito longe dali, teve sobrinha que quer galinha pintadinha toda vez que me visita no job, completamos 9 meses casadinhos! Realizei meu sonho de encontrar uma plantinha pro meu vaso de coruja! E teve buquê finalizando e eu morrendo de amores!

Ainda não me segue no insta? Corre lá!

@dayaluiza

Volta tempo

Me sinto péssima toda vez que olho para o blog tão abandonado, e se me sinto assim é que parte de mim ainda precisa dele! Precisa se expressar e por para fora um pouco de tralha, é o que eu faço aqui nos últimos sete anos! É muito tempo! E muito desleixo nas minha idas e vindas, e agora não é tão diferente, tenho passado por muitas mudanças e tendo que fazer escolhas muito complexas, e isto me bloqueia totalmente!

E por vezes me pego com tanta saudade de algumas rotinas, outro dia quase chorei quando andava pela rua da minha antiga casa, que hoje chamo de "casa da mãe" e horas ainda vacilo em falar "lá em casa" pensando nela, demora um pouco para se acostumar com a ideia mesmo 8 meses depois, e me conhecendo talvez eu nunca me acostume! Não que as coisas estejam ruins agora, mas sinto falta daquela despreocupação, das tardes de domingo que me sentia entediada, de odiar domingo por não passar nada que prestasse na TV...

Hoje mal tenho tempo para o básico, e mal vejo a segunda e já estamos na sexta novamente, e ser adulto as vezes é tão insuportável e tão preciso, é uma estrada sem volta poderia dizer. Não que ache ruim, você me entende? É só uma onda ruim, é só o ardume da adaptação me ferindo os olhos... E me parece que as decepções aumentam também, doem muito mais, e você se isola antes que as pessoas te isolem ou quase isso, é confuso e tão eu.

Isso tudo para tentar explicar minha ausência, mas uma hora eu volto e provo que a vida é maravilhosa, basta olhar direito.

Dança comigo, por toda vida?


Dia 18 completamos 8 meses de casados, e todos os dias eu ainda olho para ele, e penso: sério que eu casei com esse homem? Que se importa tanto comigo que me ama, me protege e entende os meus momentos mais insanos? Que sorte, como é bom casar com que se ama! Parece um baita clichê, e há quem diga que isto um dia passe, mas não é isso que nossos olhos dizem, toda vez que nos encontramos depois de um dia exaustivo, sempre tem um beijo de boa noite, um "eu te amo" antes de adormecer, é o nosso cuidado que cresce a cada dia.

Hoje numa dessas lembranças que o Facebook nos recorda todos os dias, havia um trecho do meu romance preferido "Dança comigo" que vira e meche estava na sessão da tarde da Globo, como o charmosíssimo e lindo Richard Gare, onde a esposa de seu personagem descreve porque as pessoas se casam:


Eu queria ter posto este trecho nos meus votos, mas com a correria acabei deixando passar, e hoje, quase oito meses depois, vejo quanto sentido isto tem, quão verdade é! Tão bom ter alguém para ser testemunha das nossas vidas, para chegar com uma rosa na mão e nos tirar para dançar, como no filme, só que para sempre, todos os dias Rafael me tira para dançar, me rodopia para fora da minha desordem interior, do meu cansaço, me faz rir das pequenas coisas, enxuga o meu mar de lágrimas...

Então, por que as pessoas se casam? Para dançarem juntas por toda vida!

Me sinto borboleta

Uma foto minha que sempre gostei, e que hoje faz total sentido.
E fevereiro mal passou do meio e já me trouxe tanta coisa boa, muitas mudanças e sonhos se realizando! Nem acreditei quando vi a realização de um dos itens da minha lista, que considerava até impossível para este ano se realizar! Mas por enquanto vou deixar este suspense no ar, e quando estiver tudo pronto vou dividir com vocês! E tudo foi uma questão de fé, e um exercício de paciência, todo sofrimento nos gera cicatrizes e aprendizados também.

Nesses poucos dias deste mês completei mais um ano de vida, e vi o meu "eu" tomar forma, fiz escolhas, segui caminhos, e finalmente entendi que cada dia é extremamente importante para nosso crescimento.

O segredo é mover uma pedra por dia, e a longo prazo terei o meu castelo! 

Me sinto inteira, no controle da minha vida, alheia ao que os outros pensam, e julgam ser melhor, tenho um objetivo e vou alcançá-lo, não importa quantos obstáculos ou palavras de desencorajamento. Pois estou completa, estou fevereiro, estou inteira, é o meu mês e minha vitória também. Me sinto bem com o blog, de escrever nele, para poucos e bons pares de olhos atentos, ao que acontece dentro desta mente que muda a todo instante, mas que sempre foi a mesma, cheia de sonhos e entusiasmo.

Meu doce fevereiro, que já era importante, passou a ser um marco, um depois dessa vida de antes, que era acorrentada em tantos medos, e hoje se vê livre, forte e plena. Por isso me sinto borboleta, tive minha fase de rastejar por aí, de estar por baixo, de me sentir deslocada, tive meu tempo de casulo, de me afastar de tudo, e me reconstruir, e agora chegou a hora de esticar as asas e voar!

21 coisas para se fazer aos 21


E aqui estamos nós, chegamos a mais um dia dois de fevereiro! Confesso, que nunca mudei tanto dentro de um ano como mudei dos 20 para 21, estou quase uma outra pessoa, e isto não é nem de longe ruim. Estou a cada dia mais mergulhada dentro de quem sou, cada dia mais apaixonada por mim, e pela vida que estou construindo.

Esse ultimo ano foi cheio de perdas e ganhos, me senti odiada, excluída, porém mais ainda amada. Me senti verdadeira, grande, talentosa, e fracassada, aprendi que cabe tudo isto em mim, que tudo isto sou eu, e que dá sempre para recomeçar quando as coisas começarem a descarrilhar, Que sou este "trem todo" toda mineira, toda morando no interior, que sou esposa, artesã e cristã. Que sou mulher, que sou brasileira, que sou filha, que sou amiga.

E agora que sei muito bem quem sou, o que os outros dizem, não faz mera diferença! E como já está virando tradição aqui no blog, montei esta lista de coisa para fazer neste novo ano que tenho pela frente, se Deus permitir! Vamos lá

1 - Me amar ainda mais - isto rende um textão que em breve farei
2 - Estar mais com minha família.
3 - Trabalhar com o que eu amo.
4 - Fazer uma venda de garagem.
5 - Aprender crochê
6 - Aprender a pilotar moto - ainda sou um pouco medrosa na hora de aprender
7 - Ler todos os livros novos antes de comprar mais
8 - Fazer um terrário
9 - Desapegar das tralhas emocionais
10 - Tornar minha casa um ambiente minimalista
11 - Ir mais a igreja
12 - Criar um clube do livro
13 - Ajudar uma pessoa por dia, nem que seja com uma palavra de ânimo
14 - Não descontar meu stress em quem me ama
15 - Reduzir pela metade o consumo de refrigerante
16 - Caminhar 3 vezes por semana
17 - Estar sempre ao lado do Rafa amando e cuidando dele ♥ (este é fácil)
18 - Começar a juntar dinheiro para nossa casa própria
19 - Comprar menos
20 - Sorrir todos os dias, não importa como meu coração esteja
21 - Conseguir ser o máximo organizada possível

São coisas simples, ao meu alcance, mas que acabamos deixando passar se não nos empenharmos, e acho que o grande feito desses meus 21 anos agora, será amar incondicionalmente a todo mundo, tudo que faço e tudo que sou!

Ps.: Um dia vou largar a mão da preguiça e começar a por fotos minhas nessas listas.

Confira aqui o que cumpri na lista de 20 coisas para se fazer aos 20 anos.

Insta da semana #2



Rolou o de sempre: muita comida, plantinhas e doodle meu e do esposo.


Comprei lápis de cor e ainda não sei em que usar, sério.

Beijos